Almirante nascimento 19/02/1908 falescimento 21/12/1980

Famoso acima de tudo por sua atuação como radialista, Almirante ganhou o apelido por ter servido na Marinha em 1926-27, depois de trabalhar como caixeiro. Começou na música atuando como cantor e pandeirista no grupo carioca Flor do Tempo, que mais tarde, com a entrada de Noel Rosa, passou a se chamar Bando dos Tangarás. O primeiro disco foi lançado em 1929, com o samba de Almirante "Na Pavuna" (com Candoca da Anunciação), o primeiro a usar percussão no estúdio de gravação. Um ano depois do sucesso no carnaval de 1930, o Bando se desfez. Almirante continuou como cantor, notabilizando-se com sambas e músicas de carnaval, como "O Orvalho Vem Caindo" (N. Rosa/ Kid Pepe), "Yes, Nós Temos Bananas" e "Touradas em Madri" (J. de Barro/ A. Ribeiro). Seu programa Curiosidades Musicais (1938) foi o primeiro no Brasil a usar técnica de montagem. Na década de 40 Almirante abandonou a carreira de cantor e passou a se dedicar exclusivamente à atividade de radialista. Em 18 anos, comandou 20 programas de rádio. Uma de suas principais batalhas, nos anos 50, foi pela recuperação de músicos já então esquecidos, como Donga, João da Baiana, Pixinguinha e outros. Com essa preocupação, Almirante passou a se interessar pela preservação da história da música popular brasileira, tornando-se um dos primeiros e mais importantes pesquisadores nessa área. Em 1963 lançou o livro "No Tempo de Noel Rosa", doando dois anos depois seu acervo para o Museu da Imagem e do Som do Rio de Janeiro. Em 1990 passou de biógrafo a biografado, quando Sérgio Cabral lançou "No Tempo de Almirante - Uma História do Rádio e da MPB".

Discografia

Discos de carreira
FESTIVAL DA VELHA GUARDA

FESTIVAL DA VELHA GUARDA

Sinter - 1956
 
A VELHA GUARDA

A VELHA GUARDA

Sinter - 1955
 
Extras
Coletâneas
ALMIRANTE

ALMIRANTE

Fontana - 1968
 
 
Almirante
 
 
Artistas relacionados
 
 
Gêneros
 
 
MetaMusica