Carmélia Alves nascimento 14/02/1923

Carioca filha de pais nordestinos, iniciou a carreira de cantora em programas radiofônicos de calouros, e conseguiu um contrato na Rádio Nacional em 1940. Seu repertório era composto basicamente de sambas e seu estilo procurava imitar o de Carmen Miranda. Trabalhou também como crooner de boates famosas como a do Copacabana Palace, e lançou discos que fizeram sucesso com músicas de carnaval, o que a levou a excursionar pelo Brasil. Em 1949 gravou "Me Leva" (H. Cordovil/ Rochinha), seu primeiro baião, estilo musical que ajudou a divulgar e que a faria famosa a ponto de receber o título de rainha do gênero das mãos do "rei", Luiz Gonzaga. Entre seus sucessos estão "Cabeça Inchada" (Hervê Cordovil), "Trepa no Coqueiro" (Ary Kerner) e "Coração Magoado" (Roberto Martins). Nos anos 60, gravou o LP "Bossa Nova", com clássicos do gênero. Prosseguiu gravando, se apresentando e participando de filmes, e gravou um LP ao vivo, ao lado de Luiz Gonzaga, em 1977. Em fins dos anos 80, passou a integrar o grupo As Eternas Cantoras do Rádio, ao lado de Nora Ney, Violeta Cavalcante, Rosita Gonzales, Ellen de Lima e Zezé Gonzaga. Em 98, saíram Rosita, Zezé e Nora, e entrou Ademilde Fonseca. Gravou três CDs com o grupo, e em fins de 1999 lançou "Carmélia Alves Abraça Jackson do Pandeiro e Gordurinha" (CPC-UMES).
 
Artistas relacionados
 
 
Gêneros
 
 
MetaMusica