Edgar Ferreira nascimento 07/04/1922 falescimento 19/12/1995

O compositor pernambucano Edgar Ferreira foi um dos criadores do ritmo rojão, próximo do coco. Ainda adolescente, fundou a Escola de Samba Turma Brasileira, de Recife, em 1937. Depois, foi fundador do primeiro Sindicato da Indústria Metalúrgica de Material Elétrico de Recife. Em 1941, foi demitido por participar de uma greve na Fábrica Matarazzo, onde trabalhava, e passou a vender livretos de cordel com as letras de suas músicas, no Largo da Paz, em Recife. Mais tarde, ajudou a fundar o Sindicato dos Compositores, do Rio, onde fixou-se em 1942, conseguindo que suas músicas aos poucos fossem gravadas por nomes do porte de Carlos Galhardo, Joel de Almeida e Luiz Wanderley. Entretanto seu maior incentivador e porta-voz de suas músicas para o sucesso foi o cantor Jackson do Pandeiro, que lançou várias de suas composições a partir do início dos anos 50, como "Um a Um" (1953) e "Forró em Limoeiro" (54), além de "17 na Corrente". O compositor recebeu um prêmio pela trilha sonora da peça "O Rei da Vela" (1967), de Oswald de Andrade, e um Kikito no Festival de Cinema de Gramado, em 1983, na sua versão cinematográfica (dirigida por Zé Celso Martinez Corrêa, que também encenou a versão teatral). Suas músicas já foram gravadas recentemente por Beth Carvalho, Martinho da Vila, Gilberto Gil, João Bosco, Genival Lacerda, Cascabulho, Zé Ramalho e Os Paralamas do Sucesso. Edgar também compôs "Tempo de Menino" e "Vou Gargalhar" (campeã do carnaval de 1955) e musicou a carta-testamento de Getúlio Vargas no rojão "Ele Disse".
 
Artistas relacionados
 
 
MetaMusica