FORRÓ LUNAR

Alceu Valença (2001)

2001
Columbia
Crítica

Cotação:

Alceu Valença não perde a eletricidade nem mesmo no formato acústico, pé-de-serra, deste Forró Lunar. Um dos mais característicos intérpretes e compositores da MPB, pai do forrock, ele realiza aqui o que, de cara, parece ser mais um projeto na linha de Forró de Todos os Tempos (seu disco de 1998). Mas não é bem por aí. Apesar do instrumental típico, com zabumba e sanfona, este é um dos bons e movimentados discos de carreira de Alceu - aliás, o primeiro mesmo de carreira desde Maracatus, Batuques e Ladeiras, de 94. Predominam em Forró Lunar as suas composições - boas canções, que se favorecem de arranjos acústicos, mais limpos e simples. A faixa título é das mais divertidas, puxada pela dobradinha de sanfona e violão (do fiel escudeiro Paulo Rafael). "Eu vou para Olinda/ viver de amor e sonhar/ ouvir Dona Selma [do Coco] cantar/ no forró lunar", canta Alceu. Dois xotes (aparentados do reggae) se destacam no disco: Sonhei de Cara (já gravado pelo cantor em Leque Moleque, de 87) e Xote Delicado. Cordas embelezam a já bonita Quando Fugias de Mim e o clima é de festa em Noite de São João.

Um dos grandes baratos de Forró Lunar está nas aliterações das letras, como na de Pé de Rosa: "O pé de Rosa na sala/ o pé-de-serra de pé/ No pé de Selma [mais uma menção à Rainha do Coco!] a sandália/ Se arrasta no rasta-pé". Cheia de sabedoria ("Pra quem sofre de dor de cotovelo/ o remédio é forró, xote e baião"), a música ainda conta com uma das impagáveis imitações de Alceu - Luiz Gonzaga é a vítima. No mesmo ritmo das aliterações, segue Balalaica, que foi feita a partir de uma esperta adaptação de Augusto de Campos para poema do russo Maiakóvski. Ela casa bem com a faixa seguinte, Forró Concreto ("embola a massa e o concreto na caçamba"), que por sua vez faz excelente par com o Vô Embolá, de Zeca Baleiro. Depois de incursão não muito feliz pela Abril Music com o ao vivo Todos os Cantos (que, mesmo assim, nos deu a boa inédita Dolly, Dolly), Forró Lunar vem como uma boa notícia. Há um punhado de sucessos esperando o rádio - pena que ele tenha que depender da boa vontade do público com o forró, gênero que Alceu sempre prestigiou, embora nem todo mundo hoje em dia lembre.(Silvio Essinger)
Faixas
Ouvir todas em sequência
1 Como um anjo querubim Ouvir
(Alceu Valença)
2 Sonhei de cara Ouvir
(Don Tronxo, Alceu Valença)
3 Quando fugias de mim Ouvir
(Alceu Valença, Emmanoel Cavalcanti)
4 Forró lunar Ouvir
(Alceu Valença)
5 Xote delicado Ouvir
(Alceu Valença)
6 Balanciê Ouvir
(Herbert Azul, Alceu Valença)
8 Pé de rosa Ouvir
(Alceu Valença)
10 Forró concreto Ouvir
(Alceu Valença)
 
FORRÓ LUNAR
 
 
MetaMusica