BAHIÃO COM H

Moraes Moreira (2000)

2000
Crítica

Cotação:

As lojas estão cada vez mais repletas de discos de forró - modismo forjado pela indústria fonográfica, ansiosa por injetar algo novo no mercado para substituir o pagode e o breganejo, que já dão sinais de esgotamento. A máquina de prensar música (e fazer dinheiro) não pode parar. Mas seria leviano dizer que o novo disco de Moraes Moreira é oportunista. Afinal, o veterano cantor e compositor nascido na sertaneja Ituaçu (BA) vem cultivando o forró e outros gêneros nordestinos afins desde os anos 70, quando era um dos cabeças do essencial grupo Novos Baianos. Além disso, diferentemente de muitos intérpretes que estão regravando os clássicos forrozeiros de Luiz Gonzaga e Jackson do Pandeiro, entre outros, 95% das faixas deste disco de Moraes são composições próprias. O título Bahião com H foi muito bem escolhido: os baiões e forrós de Moraes sempre mostraram um original sotaque baiano. Esse é também o caso de É de Ipanema, forró que recria e parafraseia Garota de Ipanema de Vinicius de Moraes e Tom Jobim ("ela é cheia de encanto/ e o seu canto é um ponto de Yemanjá/ Pra Tom Jobim ela é o avião/ Que Santos Dumont sonhava inventar"). Bem-sacado também é Forró Universitário ("Meu pé de serra/ já não é um pé rapado/ Tem freqüentado a escola/ e tá feliz/ Conhecimento/ é o seu grande projeto"), que trata com bom humor o crescente interesse dos estudantes universitários por esse gênero. Mas é em Baião com H ("Luiz Gonzaga/ já tocou no Trio Elétrico/ Sujeito eclético/ o rei do baião"), a faixa-título, que Moraes explicita mais claramente seu forró de sotaque baiano, com destaque para o guitarrista (e líder de trio elétrico) Armandinho. O ritmo do baião também serve para que Moraes releia alguns de seus sucessos antigos: Sintonia (parceria com Fred Góes e Zeca Barreto), com participação do grupo Forróçacana; Preta Pretinha (com Luiz Galvão) e Festa no Interior (com Abel Silva), estas duas, em divertidos pot-pourris de quadrilhas juninas. A festa termina com uma surpresa (por sinal, nada dançante): o belo arranjo de Vittor Santos para Sublime Canção. Com ela, Moraes confirma: Bahião com H não tem nada de oportunista, é um disco oportuno. (Carlos Calado)
Faixas
Ouvir todas em sequência
1 Você e sua bicicleta Ouvir
(Moraes Moeira)
2 É de Ipanema Ouvir
(Tavinho Paes, Moraes Moeira)
3 Nordeste cosmopolita Ouvir
(Fred Góes, Moraes Moeira)
4 Banho de amor Ouvir
(Moraes Moeira, Pepeu Gomes)
5 Instrumento bom Ouvir
(Fred Góes, Moraes Moeira)
6 Forró universitário Ouvir
(Moraes Moeira)
7 Bahião com h Ouvir
(Moraes Moeira)
8 Sonhar, sonhar Ouvir
(Moraes Moeira, Pepeu Gomes)
10 Mar vermelho Ouvir
(Tavinho Paes, Moraes Moeira)
11 Pra dançar quadrilha I Ouvir
Noite de São João (Moraes Moreira)
São João na estrada (Moraes Moreira)
Lenda de São João (Moraes Moreira - Wally Salomão)

12 Pra dançar quadrilha II Ouvir
Juazeiro (Instrumental) (Luiz Gonzaga - Humberto Teixeira)
Boca do balão (Moraes Moreira -Fred Góes - Zeca Barreto)
Preta pretinha (Moraes Moreira - Galvão)

13 Pra dançar quadrilha III Ouvir
O sanfoneiro só tocava isso (Instrumental) (Haroldo Lobo - Geraldo Medeiros)
Festa do interior (Moraes Moreira - Abel Silva)
Pife na quadrilha (Instrumental) (Roberto Stepheson - Chiquinho Chagas)

14 Bicho homem Ouvir
(Moraes Moeira)
15 Sublime canção Ouvir
(Moraes Moeira)
 
BAHIÃO COM H
 
 
MetaMusica