BOSSA NOVA

Emilio Santiago (2001)

2001
Crítica

Cotação:

Por mais que as fusões com o drum'n'bass, o trip hop e o acid jazz possam ajudar a levá-la para um público mais jovem, a bossa tem um encanto que é só daquela sua encarnação original: aquele glamour do Rio de Janeiro ensolarado dos final dos anos 50 que ela exala, aqueles arranjos de cordas jobinianos, o acompanhamento clássico de piano, violão, bateria e baixo acústico... É justamente por aí que Emílio Santiago investe em Bossa Nova, seu primeiro disco para a Sony, lançado no ano passado. A versão em DVD, gravada pela DirecTV (com direção de Jodele Larcher) em show no Golden Room do Copacabana Palace, na noite de 6 de novembro, torna ainda mais atraente o projeto pouco ousado mas muito eficiente que o produtor José Milton realizou com este nosso grande crooner de voz aveludada. Com as bênçãos de Cauby Peixoto (uma das várias celebridades amigas que compareceram ao show), Emílio singrou com segurança, simpatia e descontração pelo repertório do disco. A acompanhá-lo, alguns dos melhores músicos do país (os pianistas Cristóvão Bastos, Jota Moraes e Leandro Braga também assinaram os arranjos), uma seção de cordas e um naipe de sopros, todos em traje de gala. Luxo só, ainda mais com o belo cenário, repleto de motivos cariocas (como se não bastasse ser o espetáculo no Golden Room do Copa!), e a iluminação do craque Maneco Quinderé.

Insensatez, Corcovado, Canto de Ossanha, Garota de Ipanema, Manhã de Carnaval, A Felicidade e Você e Eu representam o repertório óbvio da bossa, relido com algum balanço e muito respeito. Entre as menos clássicas, figuram as boas Aula de Matemática (Tom Jobim), Faixa de Cetim (samba de Ary Barroso) e Bateu Pra Trás (João Donato e Lysias Ênio). Mas teve também uma bossa nova nova, Doce Viver (parceria do ex-baixista do Barão Vermelho, Dé, Nelson Motta e Marcos Valle), com canja no piano de Marcos. Outro expoente da bossa, Roberto Menescal (que produziu Emílio na vitoriosa série de LPs Aquarela Carioca), fez a apresentação do cantor e entrou com seu violão jazzy em sua Rio (parceria com Ronaldo Bôscoli). Já Durval Ferreira (que levou Emílio para a CID e o fez gravar seu primeiro LP, em 1975) também deu sua participação na noite tocando violão (ao lado de Rildo Hora na harmônica) em sua Chuva, parceria com Pedro Camargo. Tudo em casa, enfim - e é muito engraçada a hora em que Emílio interrompe o show para cumprimentar os amigos na platéia. O material extra-show que o DVD traz não é farto, mas não deixa de ser bem simpático: um making of e um bate-papo animado (e inevitavelmente saudosista) entre o cantor, Marcos Valle e Roberto Menescal. Apesar de toda a qualidade, Bossa Nova pode chover um tanto no molhado para os brasileiros. Mas os estrangeiros, esses com certeza encontrarão uma charmosa introdução ao tema nesse DVD.(Silvio Essinger)
Faixas
1 Corcovado
(Tom Jobim)
2 Insensatez
(Tom Jobim, Vinicius de Moraes)
3 Doce viver
(, Nelson Motta, Marcos Valle)
5 Manhã de carnaval
(Antônio Maria, Luiz Bonfá)
6 A felicidade
(Tom Jobim, Vinicius de Moraes)
7 Bateu pra trás
(Lysias Ênio, João Donato)
8 Faixa de cetim
(Ary Barroso)
10 Naquela estação (Leila L)
(Caetano Veloso, João Donato, Ronaldo Bastos)
11 Aula de matemática
(Marino Pinto, Tom Jobim)
13 Canto de Ossanha
(Baden Powell, Vinicius de Moraes)
14 Garota de Ipanema
(Tom Jobim, Vinicius de Moraes)
15 Você e eu
(Carlos Lyra, Vinicius de Moraes)
 
BOSSA NOVA
 
 
MetaMusica